hortens

Empresário afirma que ao aliar as reformas econômicas em favor do empreendedorismo, Brasil possui um futuro próximo de bastante prosperidade e qualidade de vida

Para Arri Coser, fundador da MDR Group, que controla as marcas NB Steak e Maremonti, é possível crescer em épocas de crises. O empresário se apresentou na tarde desta quarta-feira (14) no 31º Congresso Abrasel | Mesa ao Vivo Brasília para uma plateia com proprietários de bares e restaurantes de todo o Brasil. O segredo, segundo ele, é simples: trabalho. “Precisamos reconhecer que trabalhamos pouco. Ao aliar as reformas em favor do empreendedorismo, teremos um futuro próximo de bastante prosperidade e qualidade de vida”, diz.

Controlando mais de 20 estabelecimentos, Arri é otimista e prevê um crescimento da economia nos próximos 10 anos. Porém, a dica é não esperar o mercado melhorar para promover mudanças. Ele cita como exemplo o desenvolvimento de seus estabelecimentos. No NB Steak, por exemplo, o objetivo foi ir ao encontro da sustentabilidade. “Não temos desperdício de água, usamos madeira de reflorestamento, couro reciclável. Avançamos em todos os pontos, da evolução da marca à apresentação dos pratos”, diz.

O empresário, no entanto, ainda se mostra reticente para atuar com mais firmeza no segmento delivery. “Pode até matar a sua forme, mas perde-se qualidade. Vendo delivery, claro, tenho que estar atento às mudanças”, mas não faço força. Para a minha atuação, ainda não conseguimos encontrar uma maneira de entregar um produto com 100% de qualidade para a casa do cliente, então dou atenção mais ao atendimento no salão”, afirma.

Acompanhe as redes sociais da Abrasel com a #CongressoAbrasel2019 e fique por dentro de todas as palestras. O 31º Congresso Abrasel é a uma realização da Abrasel em parceria com a revista Prazeres da Mesa e o Centro Universitário IESB. Os patrocinadores são: Alelo, Ambev, Banco do Brasil, Coca-Cola Brasil, Ecolab, Philip Morris Brasil, Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Sodexo, Souza Cruz, Stone e Ticket.

Comentários